Desde terça-feira o MeuFigueira promove uma enquete em que pergunta ao torcedor qual o Clássico mais importante da história. Foram escolhidos quatro partidas marcantes, além da que está por vir neste domingo. No entanto nem todos têm na memória ou não vivenciaram os fatos daqueles confrontos, especialmente os de 1973 e 1976.

Para relembrar ou apresentar aos torcedores tais partidas, o MeuFigueira procurou o blogueiro Roberto Luiz dos Santos, autor do blog histórico sobre o Figueirense (veja aqui) e pediu seu relato sobre os “principais” Clássicos diante do Avaí.

Confira:

1973

A decisão de 1973: Esse clássico tem um significado muito especial. Coube ao Figueirense as honras do pioneirismo por ter sido o 1º representante de Santa Catarina a disputar o Campeonato Nacional. Atendendo ao critério estabelecido pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD), a Federação Catarinense de Futebol (FCF) realizou uma “Série Melhor de 3 pontos” para a indicação do representante catarinense no Campeonato Nacional de 1973. No primeiro jogo, disputado no Estádio Adolfo Konder, no dia 16 de maio de 1973, o Figueirense venceu por 1 a 0. O centroavante Tião Marino foi o herói da classificação do Alvinegro ao Nacional. Tião Marino foi o autor do gol marcado no primeiro jogo, em Florianópolis, que permitiu ao Figueirense poder empatar ( 0 a 0) no segundo jogo em campo neutro (Itajaí), para ficar com a vaga. Numa disputa emocionante e de bom nível técnico, o Figueirense garantiu a sua classificação para o Campeonato Brasileiro. O time Alvinegro, dirigido por Jorge Ferreira, era formado por  Da Costa; Pinga, Jailson, Moenda e Casagrande; Adailton, Moacir e Luiz Evérton; Caco, Tião Marino e Land.

1976

Primeiro confronto pelo Brasileiro (1976): Este ano aconteceu um clássico muito importante e que marcou muito para o futebol de Florianópolis. Em âmbito Nacional, foi a estreia do clássico Figueirense x Avaí no Campeonato Brasileiro de Futebol. No primeiro clássico disputado num Campeonato Brasileiro a vitória foi do Alvinegro por 1 a 0, gol do atacante Hélio Pires. O jogo aconteceu no estádio Orlando Scarpelli, em 7 de setembro de 1976. O  Figueirense, do técnico Lauro José Búrigo, jogou com Ladel; Pinga, Nélson, Gilson e Escurinho; Moacir, Sidney e Zé Carlos; Caco, Hélio Pires e Luiz Antônio.

1999

A decisão de 1999: Na minha opinião o clássico que mais marcou de fato foi o que decidiu o título do Campeonato Catarinense de 1999. A decisão entre Figueirense e Avaí foi realmente emocionante. O jogo foi equilibrado e dramático até o último lance da prorrogação.

Dirigido pelo técnico Abel Ribeiro, o Figueirense derrotou o Avaí por 2 a 1 e sagrou-se campeão Estadual. Na partida decisiva, disputada no estádio Orlando Scarpelli (25/06/1999), o Alvinegro precisava vencer por qualquer resultado no tempo normal (o saldo não contava) e empatar na prorrogação. Foi o que ocorreu. Genílson, o artilheiro do Estadual com 26 gols, fez 1 a 0 para o Figueira aos 20 minutos do 2º tempo. O Avaí empatou, mas o centroavante Genílson, de penalti, colocou o Figueirense novamente em vantagem. Com o 2 a 1 para o Figueirense no tempo normal, a partida foi para a prorrogação. O placar do tempo extra foi 0 a 0 e o Figueirense comemorou o seu 10º título Estadual. Naquela decisão tivemos mais de 23 mil torcedores no Scarpelli. Foi uma festa inesquecível. O time Alvinegro tinha um elenco muito forte, destaque para o zagueiro Carlinhos, o meia Fernandes e os atacantes Aldrovani e Genílson.

2001

Clássico Série B 2001: O Quadrangular Final do Campeonato Brasileiro da Série B de 2001 reservou também uma partida bem equilibrada e emocionante. Comandado por Vágner Benazzi, o Figueirense foi vice-campeão da Série B. O ano de 2001 entrou para a história do futebol de Santa Catarina com a volta do Alvinegro à Série A, após duas décadas de ausência. No Quadrangular Final enfrentamos o Avaí em dois jogos. No primeiro (08/12/01), no Scarpelli, com mais de 21.000 torcedores, ganhamos por 2 a 0, gols de Fernandes e Gilson Batata, numa atuação perfeita do time do Figueira. Depois, houve empate na casa deles (2 a 2).

Outras histórias sobre alguns importantes jogos envolvendo Figueirense e Avaí podem ser conferidas aqui.

E aí torcedor, relembra desses jogos? O que dizer sobre cada uma dessas partidas?

  • Guilherme Meurer

    O que marcou pra mim foi a final de 99 sem dúvidas!

  • leandro

    o 2×2 em 2001 na ressacada marcou muito p mim, pois o jogo aconteceu no mesmo dia da minha formatura de oitava série, e óbvio que me pai me obrigou a ir na formatura.
    com isso fui a formatura mas levei um radinho comigo e fiquei ouvindo o jogo durante toda cerimônia, inclusive o diretor perguntou-me varias vezes o placar.
    e lembro-me que ao chamarem meu nome p pegar o diploma nao escutei e permaneci sentado até ser cutucado pelos colegas e ai sim ir receber o mesmo.

  • LEONEL

    faltou o clássico do gol 1.000, aquele 3×1 pra nós na ressacola. Renato Martins é o nome da fera.

  • junior

    pessoal quem for ficar na gavioes é para ir de branco blz?

  • Jorge

    Voto no de 1973. Era a época romântica e o Bvaí queria ir ao “Nacional” pela política.
    Faço um acréscimo à história daquele jogo. Além do Tião Marino, herói por ter marcado o gol, o Da Costa foi um monstro, pegou até pensamento, deixando marcada sua atuação na memória daqueles que tiveram o privilégio de assistir ao jogo.

  • Edenilson

    O clássico valendo pela série B, que empatamos em 2 x 2, citado pelo Nei, o jogo foi naquele campinho lá perto do aeroporto não tem? Fui comprar os ingressos e como sempre na última hora não consegui, então tive uma brilhante idéia, de comprar o ingresso como se fosse torcedor do Bvai, estava vestido com a camisa do furacão, então fechei a jaqueta até o pescoço, entrei na fila e comprei o ingresso.
    Entrei pela arquibancada azul, fiquei preocupado se eu fosse reconhecido por alguém aqui de Biguaçu, mais deu certo, passei pelos policiais, porque na época não existia grade metálica separando as torcidas, depois foi aquela festa, em preto e branco.